Facebook

O tratamento tem este nome porque o implante é fixado no osso zigomático. Basicamente o tratamento tem por objetivo recuperar a auto-estima e a qualidade de vida. Essa revolução da Implantodontia é simples e não apresenta riscos para o paciente. Porém, requer prática e experiência profissional. Nesse procedimento, os pinos de titânio são ancorados e fixados ao osso zigomático (maçã do rosto) na arcada superior. O Implante Zigomático também é recomendado nos dois seguintes casos: Quando se quer fazer a Carga Imediata em um paciente que não tem osso suficiente. No implante convencional o paciente usava prótese móvel provisória e precisava aguardar seis meses para colocar a prótese fixa. Com a nova técnica, em quase a totalidade dos casos, o paciente, depois de no máximo 72 horas após a cirurgia, já está com sua nova dentição. E o segundo, em casos onde é mais complicada uma cirurgia de enxerto ósseo.

Quando o paciente perde seus dentes existe um prejuízo ainda maior, na maioria dos acasos ele perde também osso e gengiva, o que pode tornar o implante inviável se não houver uma quantidade mínima exigida de osso. Também pode ser esteticamente complicado, se não houver gengiva suficiente, pois a coroa do dente poderá ficar demasiadamente alongada. Quando isto ocorre, poderemos lançar mão de enxertos ósseos. Esse osso pode vir do próprio paciente, se for necessária uma grande quantidade, ou ainda, para quantidades menores poderá ser utilizado osso bovino ou sintético. Há igualmente a possibilidade de se obter osso através de banco de ossos, que funcionam regulamentados pelo ministério da saúde, sendo, portanto totalmente seguro. A cirurgia de enxerto é um fator que exige muito cuidado, pois é mais delicada que a cirurgia de implante. Não pode haver pressão, trauma ou algum descuido na região operada, devendo-se seguir todas as recomendações do cirurgião. Com este tipo de procedimento será possível obter um ganho ósseo suficiente para a colocação dos implantes e,posteriormente, permitir a confecção das próteses.

Implante Dentário com Carga Imediata Carga imediata é uma técnica de reabilitação usada há mais de 10 anos com grande sucesso, e pela praticidade é sem dúvida a principal procura dos pacientes. Ela consiste na instalação dos implantes e colocação da prótese no mesmo dia ou então no dia posterior da cirurgia. Pela técnica convencional de tratamento com implante dental, deve se esperar de 3 a 6 meses para ocorrer a integração do implante (osseointegração), ou seja, o tempo do tratamento é demorado. Esta é a grande vantagem da “carga imediata”, pois no mesmo dia o dente provisório já está instalado (não precisa ficar esperando de 4 a 8 meses para instalar o dente) Para se fazer a carga imediata, é necessário um estudo prévio do paciente. Através de um molde serão avaliados criteriosamente todos os detalhes de sua mordida (oclusão) e deverá também ser feito exame radiográfico e de sangue. Alguns critérios deverão ser tomados para realizar a carga imediata, entre eles: boa estabilidade dos implantes (bem ancorados), o paciente ter uma boa estrutura óssea e a cooperação para não comer alimentos muito duros durante um período. A realização do procedimento envolve o dentista e o laboratório de prótese dentária, que trabalham com exclusividade para o paciente. É importante que o profissional que irá realizar o tratamento possua um sistema muito integrado com o laboratório para que nada saia errado, e de preferência que tenha um laboratório na própria clínica. Esta técnica pode ser feita para um dente, vários dentes ou todos os dentes da boca. É claro que nem todo caso pode ser feito desta forma, porém sempre que possível é a melhor indicação. Tem pacientes que usam prótese total (dentadura) e não conseguem mastigar bem os alimentos, e desta forma em um dia podem sair com os dentes implantados.

As próteses dentárias servem como “substitutas” do dente. Podem ser unitárias, parciais ou totais e são apoiadas em raízes, dentes ou implantes e mesmo sobre a gengiva, no caso das dentaduras. Podem ser ainda fixas ou removíveis. Servem para que o paciente volte a mastigar melhor, falar melhor e ficar com o sorriso mais bonito. Além disso, elas corrigem os problemas causados pela falta de dentes. Cada uma tem sua aplicação a solução adequada deve ser eleita pelo cirurgião dentista junto com o paciente considerando os diversos fatores do tratamento. O material utilizado para a confecção das próteses pode variar podendo ser: cerâmica, resina ou porcelana.

É um tipo de prótese temporária que é usada enquanto se confecciona a definitiva ou enquanto se espera a cicatrização tecidual após extrações ou instalação de implantes. É de confecção rápida, porém não é tão refinada nem duradoura. Possui importante efeito social e estético, além de funcional. Por serem cimentadas com um material provisório, podem ser facilmente removida,. Assim como qualquer prótese, pode trazer um ligeiro desconforto inicial, bem como, requerer alguns ajustes.

Protocolo tipo Branemark - prótese fixa em resina. É um tipo de prótese que é fixada somente sobre implantes, para pacientes que não possuam dentes. Essa prótese envolve todos os dentes superiores ou inferiores e deve ser rente à gengiva. Esses dentes são de acrílico prensado, importado e entre os dentes da prótese e a gengiva é colocada uma gengiva artificial com as mesmas características do paciente, para devolver a altura da mordida que ao longo dos anos foi perdida pela perda dos dentes. Essa é uma técnica de reabilitação onde todo o trabalho é fixo nos implantes através de parafusos e somente o dentista pode remover para a manutenção, que deve ser feita conforme orientação do profissional.

As Overdentures devolvem ao paciente a estabilidade suficiente para mastigação, fonação, deglutição e principalmente a auto-estima, autoconfiança para o convívio social. Segundo estudiosos, as vantagens desse procedimento são: a facilidade de higiene do aparelho, pois pode ser retirado da cavidade oral; e o menor custo, devido ao reduzido número de implantes colocados. A técnica é relativamente simples, quando o paciente não possui dentes inferiores, são colocados dois implantes na arcada inferior, no lugar dos dentes caninos, de cada lado do arco, espera-se um certo período para cicatrização e integração óssea do implante, e depois a prótese do paciente pode ser adaptada para receber os componentes protéticos que irão fixá-la na arcada inferior através do implante. Os componentes protéticos funcionam como encaixes nos implantes inferiores e, por isso, a prótese pode ser retirada e limpa quando necessário, o mesmo, funciona com os componentes, que quando desgastados com o tempo podem ser trocados, essa é a grande vantagem. Esse tipo de reabilitação devolve uma certa retenção da prótese, e com certeza, um maior conforto psicológico ao paciente, que passa ater um convívio social mais seguro.

(Tratamento de Gengivas) Periodontia é a especialidade odontológica que trata dos problemas do periodonto, ou seja, do conjunto de tecidos que está ao redor do dente e que é responsável pela sua fixação: gengiva, osso alveolar e fibras que ligam a raiz ao osso. Doença Periodontal Doença periodontal é o comprometimento dos tecidos periodontais como pelo processo inflamatório, que leva à reabsorção do osso que está ao redor das raízes dos dentes, gengivite. Não há alteração óssea, pois a inflamação só atinge a gengiva. As doenças periodontais podem causar a mobilidade dental, ou seja, com a inflamação da gengiva e reabsorção do osso ao redor do dente, faz com que o dente se mova, prejudicando a arcada dentária.

Tratamento endodôntico ou tratamento de canal. Endodontia é mais conhecido como tratamento de canal. Este tratamento consiste na remoção do tecido mole que se encontra na parte mais interna do dente, composta pela câmara e canal, e que recebe o nome de polpa. A polpa pode estar sadia ou infectada e, ao ser removida, é substituída por um material obturador. É isso que os dentistas chamam de tratamento de canal.

É um tipo de prótese fixada no dente ou implante, podendo substituir um ou até mesmo, vários dentes. A coroa de porcelana quando é fixada ao dente, requer um desgaste prévio no mesmo, sendo que a coroa irá recobrir o que restou deste dente, devolvendo sua cor e tamanho original. Está indicada para dentes desgastados, fraturados, com tratamento de canal realizado, por motivos estéticos, funcionais, para dentes mal posicionados e outros motivos específicos. É composta de uma infra-estrutura de metal, ou de porcelana reforçada e recoberta de porcelana que imita a aparência natural dos dentes. Quando é fixada no implante, ela pode ser parafusada ou cimentada como um dente natural, devolvendo tamanho, forma, função e cor natural dos dentes.

É uma fina camada de porcelana que recobre a parte do dente envolvida no sorriso. Normalmente é feita em dentes que contém manchas, cor alterada por tratamento de canal ou por algum motivo que necessite dar uma estética melhor ao dente. É feito um leve desgaste no dente para que a faceta seja cimentada, com material próprio para esse tipo de prótese.

Com o passar do tempo, por causa da ingestão de alimentos e bebidas, fumo e medicamentos nossos dentes mudam de cor e escurecem normalmente, comprometendo a estética do sorriso. O clareamento dental é uma técnica desenvolvida para trazer de volta o branco dos dentes, eliminando as manchas e os amarelados. Existem algumas maneiras de fazer o tratamento de clareamento dental, o mais comum é são os tratamentos de clareamento doméstico, onde o dentista prepara moldeiras e fornece um gel branqueador ao paciente que faz o tratamento em casa, acompanhado pelo dentista. E a outra maneira é a técnica do clareamento dental a laser, que através do uso de substâncias químicas ativadas pelo laser, removem-se manchas e pigmentações dos dentes, alojadas em sua camada interna; a dentina. A rapidez do resultado é evidente; ao término de cada sessão já se observa os dentes mais claros. Vale ressaltar que não é uma técnica invasiva, não ocorre desgaste dos dentes. Esta técnica é realizada no consultório.

O exame ortopantomográfico, mais conhecido como radiografia panorâmica, é um exame útil e bastante prático para complementar o exame clínico no diagnóstico das doenças dos dentes (cáries ou doenças endodônticas) e dos ossos da face. Através desse exame, o dentista pode visualizar todos os dentes de uma só vez, inclusive os que ainda não estão erupcionados. Cáries, fraturas dentais, infecções ou outras doenças dos ossos que sustentam os dentes podem ser visualizadas e, muitas vezes, diagnosticadas. Praticamente no diagnóstico de todas as lesões dos ossos da maxila e mandíbula. Através desse exame, pesquisam-se reabsorções ósseas e radiculares, cistos, tumores, inflamações, fraturas pós-acidentes, distúrbios da articulação temporomandibular (que causam dor na região de ouvido, face, pescoço e cabeça) e sinusite. É comum solicitá-lo também como exame pré-operatório em cirurgias dos dentes e ossos. O resultado é a entrega de um trabalho de altíssima qualidade.

Implantes dentários já podem ser instalados de uma forma menos traumática e com menor risco possível ao paciente. A cirurgia guiada é realizada, primeiramente, no computador a partir de uma tomografia tridimensional da arcada dentária do paciente. Procedimento inovador, que evita que o cirurgião corte toda a extensão da gengiva do paciente para examinar o osso e escolher os locais para a perfuração e a colocação do implante. Este planejamento faz com que o procedimento cirúrgico seja muito mais rápido e seguro, eliminando a necessidade de cortes e pontos durante a cirurgia e reduzindo o tempo de recuperação e os incômodos pós-operatórios. Contudo, nem todos os pacientes podem fazer a cirurgia guiada. Somente aqueles que apresentem condições ósseas satisfatórias (espessura e altura) para a instalação dos implantes. Aqueles que apresentarem perda óssea precisam passar, previamente, por uma cirurgia de enxerto ósseo.

Tratamentos: